“O Apostolado”
30 de maio de 2020
Junho – mês do Sagrado Coração de Jesus
4 de junho de 2020

“A Vida de Amor no Mês que Termina”

Dia muito eclesial: o sentir com a Igreja. Rezar a realidade da Igreja e, depois, encaixar os questionamentos (muitas vezes fica-se só nos questionamentos e não se sai deles).
Se durante o mês a Mensageira se abrir para Deus, ela estará mais unida a Jesus Cristo, motivada pelo seu Reino, amando mais.

Dentro da ESPIRITUALIDADE DO AMOR DIVINO, está toda uma Cristologia e uma Eclesiologia. Amar a Jesus Cristo e não ama a Igreja é inconcebível – EU SOU IGREJA!
P.993: A comunhão de todos os membros na comunhão eclesial.
GRAÇA A PEDIR HOJE: a graça de um grande amor, que quer se comprometer. O amor que se engaja.

Ver se me sinto dentro ou fora dessa Igreja (aplicar a idéia também para a Congregação, que é Igreja).
Cristo é sempre fator de unidade, nunca de separação.
Isto implica a fé, em Deus e nos irmãos.
Rezar hoje como uma religiosa que, realmente ama a Igreja.

REGRAS PARA UM “SENTIR ECLESIAL”:

  1. Vida litúrgica: disciplina ritual (X)
  2. Autoridade: respeito e obediência aos superiores (XX)
  3. Doutrina: acatamento e visão pessoal (aceitação das posições duras da Igreja, mesmo que não me pareçam muito claras).
    (X) – encontrar o caminho pessoal, seguro, em tempos difíceis.
    (XX) – quanto à autoridade: relações e entendimentos. Acolher o novo, respeitando as tradições. Ir além do estritamente previsto ou do que foi determinado por cargo ou função.

Como Igreja pobre, tentar ser mais despojada, optando profundamente.
Como Igreja obediente, serviçal e disponível, inserir-se mais na ação pastoral da minha Igreja Particular.
Como Igreja Casta, primar por uma comunhão mais intima com Deus e com os próximos mais próximos. É importante ultrapassar, e ir além do histórico. Que o meu sentir, o meu falar e o meu agir, sejam os mesmos da Igreja.

Que a minha mentalidade seja a da verdadeira Igreja de Jesus Cristo.

Os comentários estão encerrados.