Irmã Ercília nos dá seu testemunhos sobre a perseverança em tempos de pandemia
29 de outubro de 2020
Irmãs Mensageiras presentes no Centro De Assistência Social Padre Antônio Borges (CAS) em Sacramento-MG
18 de novembro de 2020

Novembro – mês do Apóstolo Santo André

É irmão do apóstolo Pedro, portanto filho de Jonas também . Pai e filhos eram pescadores de Betsaida . Moravam, contudo, em Cafarnaum, às margens do lago de Tiberiades. Na enumeração dos apóstolos o nome de André ocorre sempre entre os primeiros, juntamente com Pedro, Tiago e João

Encontrava-se André com João, o Evangelista de mais tarde, entre os seguidores de João Batista, quando este assinalou o Redentor como sendo o “Cordeiro de Deus”. Imediatamente, como primeiro discípulo, seguiu a Jesus. No dia seguinte conduziu ao Senhor o irmão, a quem, cheio de alegria, comunicara: “Encontramos o Messias” . Para o cargo de Apóstolo, propriamente, André só foi chamado mais tarde, junto com Pedro, quando ambos pescavam: “Segui-me! Farei de vós pescadores de homens“. Imediatamente seguiram eles o Mestre.

André tem no Evangelho, principalmente em três oportunidades, lugar de preeminência: quando da maravilhosa multiplicação dos pães, disse ao Senhor encontrar-se lá um rapaz com cinco pães e dois peixes ; com Filipe, apresentou ao Mestre alguns gregos, que adoravam a Deus no Templo de Jerusalém e desejavam conhecer a Jesus ; juntamente com Pedro, Tiago e João fez a Jesus a pergunta acerca do tempo da destruição de Jerusalém.

Após Pentecostes, não torna a ser nomeado no Novo Testamento. Contudo Eusébio, historiador eclesiástico, louvando-se em Orígenes, diz que André, na distribuição dos campos apostólicos, recebeu a Citia para lá anunciar o Evangelho . Gregório Nazianzeno nomeia o Epiro; Teodoreto, a Grécia; Jeronimo e Gaudêncio a Acaia; Nicéforo, a Capadócia, a Galácia, a Bitínia, a Cítia, o Ponto, Bizâncio, a Trácia, a Macedônia, a Tessalônica e a Acaia

Segundo indicações não garantidas, André morreu em Patras , numa cruz em forma de X, e que hoje, em atenção ao Apóstolo, é chamada “cruz de Santo André”. A lenda, recolhida pelo Papa Damaso, põe em evidência o grande amor do Apóstolo para com a cruz de Cristo, o instrumento da salvação do mundo.

Tanto a Igreja latina como a grega celebram a festa de Santo André a 30 de novembro, que, segundo se diz, foi o dia de seu martírio. Ambas celebram a transladação dos despojos para Constantinopla: a latina, a 9 de maio; a grega, a 20 de junho. O Breviário Romano comemora uma transladação para Amalfi, efetuada no século 13. Em 1462 foi a cabeça de André levada para Roma, onde hoje é venerada na Basílica de São Pedro.

Santo André é o padroeiro da Rússia e da Escócia. Pedro, o Grande, estabeleceu em honra dele uma ordem de cavaleiros na Rússia.

Os comentários estão encerrados.