“Dia do Círculo Bíblico”
22 de maio de 2020
“Oração”
24 de maio de 2020

“O Amor e a Conformidade”

Minha vida no plano de Deus; fiel aos desígnios do Pai, imitadora dos gestos de Jesus, no Amor ao Espirito Santo.

CONFORMIDADE: “formar com” – no discernimento, no desejo de acertar, fundamentado numa vida de oração profunda.

Necessidade e importância do elemento “ascese”, que faz conquistar uma vida, sempre renovada, no domínio pessoal. Vivendo com Deus e por Deus, levando conosco o nosso próximo, para uma vida de maior perfeição.

Repensar no que já foi indicado em outro dia:
• O que resolve para o Reino de Deus, não é o que eu faço, mas COMO EU FAÇO. Para isso urge a prática e o treino da reta intenção

Para atingirmos a “Santa Indiferença”, ensinada por Santo Inácio, precisamos nos questionar sempre: minhas ações e operações visam a maior honra e glória de Deus? A conformidade se identifica com a aceitação e supõe despojamento.

Numa revisão pessoal diária (ou hoje), perguntar-me: atrás das minhas ações, qual o princípio que me conduz? (Porque há, sempre, uma teoria implícita que me impulsiona).
Buscar princípios que levam a caminhos certos. São sinaleiros, setas indicativas que me orientam dentro da verdadeira estrada.

Meu compromisso com o povo é compromisso com o Reino de Deus.
ICor 15,28: “Deus, tudo em todos!”
Para conformar, com equilíbrio, minha vida dentro do plano de Deus, viver com o povo, mas, intimidade, com Jesus Cristo. O maior presente que podemos levar ao povo, é Jesus Cristo, não tenhamos dúvida!
Na conformidade, entra forte, a questão da unidade. Refletir, por isso, na Pastoral de Conjunto, algo bastante novo. Nada jogar fora, só porque é passado. A ascese pessoal tem por objetivo, o domínio de si mesmo, o que se consegue com certas renúncias.
Toda a insegurança que se vê hoje é gerada por não se saber o caminho a seguir. É falta do seguimento real, de Jesus Cristo. É desinteresse aos projetos de Deus, porque vivemos, apenas, na superficialidade das coisas.
Temos que nos realizar como Igreja.

Entender conformidade não como “conformismo”, mas como concepção adulta de que, em determinados momentos, eu preciso submeter a minha vontade à obediência, que tem sua fundamentação na obediência de Jesus Cristo.
Nem sempre sabemos como nos colocar dentro do Projeto do Pai, mas por isso, estamos numa comunidade, e nela, através de legítimos superiores, descobrimos a vontade de Deus.
Interessante refletir um pouco, no problema das transferências. “Gente” há em toda parte, salvo se me mandarem para o deserto (mas se mandarem eu vou). Em todos os lugares há gente que me aceita e gente que não me aceita. E dai? Depois de dois meses que fomos embora, ninguém mais sente, ou pelo menos, vive bem sem mim. É a vida! E eu devo ser moldável a ela, preocupada apenas, com o plano de Deus, e com a sua maior honra e glória!

PERGUNTAS:
Será que estou atingindo o objetivo da minha consagração a Deus?
O que é que, HOJE, está me ordenando mais para Deus? (desprendimento radical: Ex 2: “…Tira as tuas sandálias…” No Novo Testamento: Lc 14, 25-33 – condições para ser discípulos).
Estou para ver e fazer a vontade de Deus.
Refazer minha opção: ter uma atitude fundamental e, depois perante tal e tal situação, renuncia do meu querer, diante do projeto de Deus.
Para exame, hoje: não estou, demais, apegada a pessoas, coisas ou ideias, que estão me atrapalhando? Is 44, 1-23.

Cuidado com os ídolos: coisas se tornam ídolos, pessoas se tornam ídolos, ideias se tornam ídolos. Criar, em mim, a santa indiferença com relação às circunstancias, numa tentativa de tirar proveito de tudo, em vista do Projeto de Deus. (Javé resgatou Jacó e realizou o seu projeto).

Rezar um grande louvor a Deus, através do Salmo 110. Eu lembro: o principio da Sabedoria é temer a Javé.
P.324: Não se enclausurar em valores do mundo… Mas como ser espiritual… Liberte-se de qualquer escravidão, nas suas relações pessoais, no exercício do serviço do serviço mútuo e na conquista de aceitação. Quem não se sentir livre, jamais poderá servir.
É importante sentir-se bem, assumindo conscientemente, as mediações de Deus, para que eu ande no caminho certo. Deus está agindo. Tudo vai dar certo! A obra é d’Ele! Eu sou a obra de suas mãos.

A vontade de Deus é a minha paz!

PROPÓSITO: Quero aceitar, sempre, a vontade de Deus. Ter a certeza de que será melhor. Não porei condições. Também peço: não me deixe, Senhor, temer as consequências. Quero saborear a vontade de Deus, nos diversos acontecimentos de minha vida.
Ele se serve de tudo para me atrair.

Os comentários estão encerrados.