Reflexão Quarta-feira de Cinzas
17 de fevereiro de 2021
Papa Francisco nomeia uma Irmã Mensageira como consultora da Santa Sé
23 de fevereiro de 2021

Reflexão do 1ºDomingo da Quaresma

As leituras deste 1º Domingo da Quaresma nos convidam a renovar nossa aliança com Deus. Vemos isso através da primeira leitura onde se relata a aliança incondicional entre Deus e Noé, representante da humanidade inteira, aliança que se fundamenta na purificação, recriação e na restauração da humanidade. “Ponho meu arco nas nuvens como sinal entre mim e a terra” (Gn 9,13). O arco íris simboliza a fidelidade e Deus.

Na segunda leitura, Pedro nos recorda a nova aliança que Deus estabeleceu conosco por meio de Jesus Cristo. Jesus pagou um alto preço para nos redimir. Renovou e fortaleceu a aliança com seu próprio sangue. No dilúvio, o pecado da desobediência foi eliminado pelas aguas; em cristo é pelas águas do Batismo e pelo dom do Espírito Santo.

A mensagem central da Segunda Leitura é de encorajamento aos discípulos, confrontados com provocações, injustiças e hostilidades por testemunharem a fé em Jesus Cristo a carta faz um apelo para que os irmãos não se cansem de fazer o bem, mesmo em meio ao sofrimento. O agir do discípulo deve sempre estar em conformidade com o agir de Cristo e Senhor, que pela sua morte e ressurreição purificou a todos.

No Evangelho vemos que Jesus nem começou sua missão e já se vê confrontado com o poder do mal. Foi listado por satanás, mas venceu as forças do mal, mostrando-nos o caminho para a fidelidade ao projeto de Deus.
O tentador procura induzir Jesus a entrar no jogo dos poderosos enveredando pelo caminho da busca do prestigio, do poder, dos privilégios e reiniciando a sua missão profética de serviço e doação de vida.

Como o povo de Israel no deserto, Jesus tem diante de si dois caminhos: ser fiel aos planos do Pai, o que implica passar pela Paixão e morte na cruz para construir o Reino de Deus neste mundo, ou se desviar do projeto de Deus, comungando com os líderes de seu tempo.

Mas Marcos nos mostra a opção de Jesus: ele escolheu ser fiel a Deus Pai iniciando sua missão publica nas periferias da galileia, distante das propostas, dos poderes religiosos e políticos de Jerusalém. e a partir das periferias existenciais e geográficas que Jesus começa a anunciar a Boa Nova e proclamar que o tempo de Deus chegou. Tempo de construir um mundo novo uma comunidade de discípulos que caminham com ele. O texto onde mostra que Jesus é servido por anjos, é o símbolo de todos aqueles e aquelas que atendendo ao chamado de Deus, se põe a caminho a serviço do reino.

Hoje todos nós somos convidados para ter os gestos, o jeito e a missão de Jesus no mundo. Que a mãe de Jesus nos ensine a fazer o que ele nos disser. Amém!

Ir. Santina do Rosário, MAD

Os comentários estão encerrados.